Testemunhos

Veja o testemunho dos participantes no programa.

Marlène Thisselin ( ISTOM, FRANÇA)

marlene

Durante a minha participação no projeto ARChE_Net, o meu trabalho de campo foi realizado na Índia. O meu trabalho foi repartido entre dois parceiros do projeto, a Universidade de Veterinária SVVU, em Hiderabade, e o Instituto Nacional de Nutrição e Fisiologia Animal, em Bangalore (NIANP).

O meu estudo focou-se em forragens (híbrido Napier, Pennisetum purpureum) e em matéria orgânica (estrume de ruminantes). A amostragem foi realizada em terrenos dos parceiros, e em algumas aldeias situadas a norte de Bangalore. Em cada terreno, recolhi vários dados para caracterizar e para melhor conhecer o local de estudo.

No meu estudo, as amostras foram recolhidas diretamente no terreno ou na exploração. Tal permitiu trabalhar com material fresco, mais próximo da realidade e de todas as suas variações. Tive a oportunidade de trabalhar e estudar ao mesmo tempo no terreno e nos institutos, o que achei muito interessante. Além disso, conheci as condições e as práticas dos sistemas de produção animal em diferentes regiões da Índia.

Considero que este estágio foi uma boa experiência; tive a possibilidade de conhecer e trocar conhecimentos com a comunidade científica Francesa e Indiana e de aprender com eles. Além disso, os parceiros Indianos foram muito úteis para o meu trabalho.

 

Alicja Matysiak ( UNIVERSIDADE DE MONTPELLIER, FRANÇA )

alicja

Realizei um estágio no CIRAD no seio do projeto ARChE_Net, de Março a Agosto de 2014, em Madagascar. O meu estágio foi muito interessante, e durante o qual adquiri muitas experiências que serão úteis no meu trabalho futuro. Em 2013, obtive o diploma da Universidade de Ciências da Vida em Poznań, na Polónia, em Biologia Animal, e em 2014, através do programa ERASMUS obtive o diploma Master 2 da Universidade de Montpellier sobre o curso EPSED. Atualmente estou a terminar os meus estudos de Engenharia na área da zootecnia na Universidade Poznań.

Durante o meu estágio, o objetivo principal foi de criar equações de predição NIRS para a composição de fertilizantes orgânicos em Madagascar.

Ao longo do estágio aprendi muito : descobri a técnica NIRS assim como a utilização do aparelho NIRS portátil, o Labspec 4. Tive também a oportunidade de adquirir conhecimentos de base de forma a pô-los em prática num estudo. Aprendi igualmente a trabalhar com o programa estatístico "The Unscrambler” através do qual desenvolvi a calibração e a equação de regressão para a matéria orgânica.

 
Com esta experiência, espero ter a oportunidade de continuar a trabalhar num país em desenvolvimento porque considero que o trabalho de desenvolvimento dá-me muitas possibilidades e satisfação.

Para concluir, como estagiária recomendo o trabalho de cooperação com o projeto ARChE_Net, porque podem contar sempre com a ajuda e apoio do coordenador deste projeto e podem adquirir muitas novas experiências.

 

Mathieu ROUX (ISARA, LYON, FRANÇA)

mathieuArtigo no “The Innovator”, boletim do Centro Graham para a Inovação Agrícola (CSU, Wagga Wagga – Austrália)


Development of new on-farm diagnostic tools

Desenvolvimento de novas ferramentas de diagnóstico na exploração

Estando no 5° ano da Escola de Engenharia Agronómica e depois de um percurso orientado para as ciências aplicadas em Agronomia e para a investigação agrícola, escolhi realizar o meu trabalho de fim de curso no seio de um projeto de investigação internacional, no CIRAD.

O projeto do qual fiz parte pretende desenvolver novas ferramentas de diagnóstico das explorações para uma melhor utilização dos recursos disponíveis no terreno. Trabalhámos mais especificamente na espectrometria do infravermelho próximo (NIRS), técnica analítica que permite caracterizar a composição química da amostra.

Ser estagiário do projeto ARChE_Net na UMR SELMET do CIRAD, permitiu-me descobrir a metodologia e explorar os princípios de base utilizados durante o desenvolvimento de ferramentas destinadas ao diagnóstico e à gestão dos recursos de uma exploração.

Durante o meu estágio trabalhei com professores-investigadores (M. FRIEND e J. PILTZ) e com doutorandos (S. McGrath da Universidade Charles Sturt, em Wagga Wagga, Austrália). Estar fortemente envolvido, durante um longo período de tempo (seis meses) na comunidade de investigação de duas organizações tão importantes como o CIRAD e a Universidade Charles Sturt foi possível graças ao desenvolvimento da minha capacidade de ser autónomo, qualidade indispensável para trabalhar no estrangeiro e longe do centro logístico. Visto que o meu trabalho está situado no cruzamento entre diferentes especialidades, espectrometria de IV, química, e agronomia, foi necessário um grande trabalho informativo pessoal. Contactar especialistas e realizar um trabalho de pesquisa bibliográfica são capacidades que fui obrigado a desenvolver durante os seis meses que passei na Austrália.

Além disso, escrever o meu trabalho de fim de curso num país anglófono permitiu-me praticar diariamente o Inglês e dominar o vocabulário técnico associado a diferentes áreas que vão desde a nutrição animal à matemática, passando pelas ciências do solo e ciências da vida.

 

THOMAS WIBAUX (ISARA, LYON, FRANÇA)

thomas


A fim de concluir os meus estudos para obter o diploma de Engenharia Agronómica, passei seis meses na Ilha da Reunião a trabalhar para o projeto ARChE_Net. O meu trabalho? Criar modelos matemáticos para permitir a análise direta dos solos com um espectrofotómetro portátil.

Este estágio foi uma experiência de trabalho completa e decisiva para mim. A oportunidade de contribuir para o desenvolvimento de um dispositivo analítico inovador, permitiu-me trabalhar com uma equipa multidisciplinar, com investigadores conceituados, numa estrutura de investigação e desenvolvimento de renome mundial, o CIRAD. O CIRAD forneceu recursos excelentes, permitindo-me de trabalhar numa tecnologia de ponta com o melhor equipamento e software disponíveis. A originalidade das investigações que escolhi para trabalhar, a análise de solos frescos com o NIRS, levou-me a contribuir para uma das áreas de investigação mais promissoras em tecnologia agrícola. O projeto ARChE_Net, pretende financiar estas tecnologias com a finalidade de desenvolver e adaptar os sistemas de produção de ruminantes a um ambiente em mudança. O meu trabalho, além de fornecer dados e os primeiros resultados para a investigação com o NIRS, também foi utilizado para o desenvolvimento direto dos agricultores através da melhoria da sua produtividade, mas também para contribuir para a otimização das suas melhores práticas para a proteção do meio ambiente.

Esta experiência de trabalho contribuiu para o desenvolvimento da minha capacidade de trabalho em equipa, a criação de protocolos originais e gerir um modelo experimental desde a recolha de amostras até à análise estatística dos dados, e consequentemente aumentou a minha vontade de trabalhar na área da investigação agrícola para o desenvolvimento. Com a conclusão do meu estágio fui capaz de fornecer bons resultados, que permitiram a elaboração das primeiras equações para a análise de solos frescos com o NIRS e com tal referência estou certo de entrar no mundo profissional com boas bases.

 

Rede

Back to top